A história dos transportes no Campo Grande – Parte IX – O prefeito muda, e a EMDEC perde sua força

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 15 de outubro de 2017 às 12:33

A frota da EMDEC foi relativamente nova em comparação com as das demais empresas que circulavam na cidade na época. Com a melhora do serviço prestado e a dobra da quantidade de veículos circulantes, inclusive apenas com ônibus articulados, uma novidade para a época, a população ficou bastante satisfeita e a prefeitura já alçava outros vôos, querendo expandir os serviços da EMDEC para outras regiões da cidade para que toda a frota acabasse sendo municipalizada.

O grande problema é que ao longo de todo o seu governo, o prefeito Jacó Bittar foi muito atacado tanto pela imprensa quanto pelos seus adversários políticos. Tanto que até acabou saindo do PT e foi para o PSB, que é o atual partido do prefeito Jonas Donizette, tanto que chegou a ser candidato em 1996 e perdeu para o candidato do antigo PPB (atual PP) Francisco Amaral, que viria a ser um dos piores prefeitos da história da cidade com um governo desastroso e paralisado.
Com o fim do seu mandato, Jacó Bittar não conseguiu fazer seu sucessor e deixou o governo para o Magalhães Teixeira (PSDB), que foi o seu antecessor. A vitória de Magalhães Teixeira foi avassaladora, com mais de 61% dos votos válidos no primeiro turno. O carisma de Teixeira junto ao eleitorado teve uma forte influência nesse pleito, porém isso colocava em ameaça algumas das coisas implantadas por Jacó, principalmente no setor de transportes.
Assim que assumiu o poder no ano de 1993, o prefeito Magalhães Teixeira iniciou uma série de mudanças no setor de transportes. Uma delas foi a troca da pintura de toda a frota que teve início em 1994. Assim que assumiu, a prefeitura determinou a retirada do logo da administração antiga de toda a frota, ficando apenas a cor da empresa, a sigla e o prefeito, nada mais. No ano seguinte foi apresentada a nova pintura, sendo uma faixa amarela e outra azul escrito “SIT CAMPINAS” em branco. SIT é a sigla de Sistema Integrado de Transportes, algo implantado sem nenhuma alteração já que o sistema ainda não tinha integração na catraca, apenas em alguns terminais de bairro. Curiosamente, as cores são do PSDB mas nada foi questionado na época, mas isso é um assunto para outro artigo.
No mesmo ano, a prefeitura anunciou que a EMDEC não iria mais operar ônibus, passando a ser apenas a gerenciadora do sistema no lugar da SETRANSP, que ficaria somente com a gestão do trânsito da cidade. No próximo capítulo, vamos falar sobre a transição da EMDEC para a nova empresa operadora.