A história dos transportes no Campo Grande – Parte X – Viação Santa Catarina assume as linhas da EMDEC

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 22 de outubro de 2017 às 14:53

Com a saída do prefeito Jacó Bittar do poder, algumas mudanças foram implantadas pelo seu sucessor, José Roberto Magalhães Teixeira. Uma delas foi a retirada das linhas da EMDEC e repassadas para a iniciativa privada. Com essa ação a prefeitura transformou a EMDEC apenas em gerenciadora do sistema de transporte e trânsito, tirando essa atribuição da SETRANSP (Secretaria de Transportes e Trânsito). Na prática, essa mudança não mudou muita coisa já que a EMDEC estava com uma equipe montada, com presidência, diretoria, etc. A frota pública da EMDEC foi à leilão e o restante acabou virando sucata ou foi “devolvida” para a URCA, como por exemplo os três ônibus articulados. A empresa escolhida para assumir as linhas na região do Campo Grande e do Jardim Florence foi a VISCA – Viação Santa Catarina.

Um dos novos ônibus comprados pela Viação Santa Catarina, já com a nova pintura da época, para circular nas linhas da EMDEC e da URCA, já que os itinerários do Parque Itajaí também foram repassados à VISCA.

A prefeitura alegou na época que não tinha mais condições de operar as linhas com uma empresa própria, até porque ela seria deficitária. A curiosidade em cima de toda essa mudança fica por conta da propriedade da VISCA. Na época houve uma “dança das cadeiras” entre as empresas de ônibus que operavam na cidade, fazendo com que elas mudassem de propriedade. O então dono da URCA, o empresário José Eustáquio Urzedo, havia comprado de Joaquim Constantino (filho de Nenê Constantino, o mesmo da aérea GOL) a Viação Santa Catarina. Por sua vez, Constantino arrematou a VBTU Transportes. Mais tarde, a URCA seria vendida para o empresário Belarmino Marta, que já era dono da Rápido Luxo Campinas. Nesse pequeno período em que a URCA e a VISCA ficaram sob o comando do mesmo dono, houve grande troca de frotas entre as duas, com veículos sendo repassados entre elas.

Na prática, não mudou nada em relação ao que era. A implantação da URCA em 1988 foi feita pelo José Eustáquio Urzedo quando ele comprou a Viação Campos Elíseos e repassou as linhas deficitárias para a TUGRAN, mas manteve a linha do Parque Itajaí, altamente rentável. Depois entrou a EMDEC em parceria com a URCA e na sequência entrou a VISCA, do mesmo dono, ou seja, acabou ficando tudo com a mesma propriedade. A entrada da VISCA nas linhas do Campo Grande foi com grande pompa, já que houve carreata com apresentação de uma nova frota, composta por cinco ônibus articulados e dezenas de veículos com motor traseiro e central, além de alguns ônibus básicos para as linhas mais simples, porém a situação nas alimentadoras (linhas de bairro) do Terminal Campo Grande tiveram uma piora, porém isso iremos contar na próxima parte.