Agora vai? Lotes do BRT de Campinas são homologados

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 30 de dezembro de 2016 às 14:32

fonte: Maria Teresa Costa / Grupo RAC

A Prefeitura homologou nesta quinta-feira a licitação de três dos quatro lotes de obras dos corredores Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral, por onde circularão os BRTs. A previsão é de que a assinatura dos contratos para o início dos projetos executivos e também das obras ocorra já no começo de janeiro.
A implantação dos corredores vai custar R$ 451,4 milhões e deve ser concluída em 2019. A decisão será publicada na segunda-feira no Diário Oficial.
A homologação de um dos lotes, o de número 2, foi suspensa em razão de recurso impetrado pelo Consórcio Paulitec-Estrutural contra a habilitação e classificação da empresa Construcap-CCPS Engenharia e Comércio para o projeto e obra do Corredor Campo Grande, trecho que ligará a Vila Aurocan ao Terminal Itajai com 13,6 quilômetros. A Construcap, que ofereceu R$ 191,1 milhões para fazer o projeto executivo e obra do trecho, tem cinco dias úteis para se manifestar.
O secretário de Administração, Sílvio Bernardin, disse nesta quinta-feira que decidiu homologar os lotes cujos resultados não foram questionados por concorrentes para que o processo pudesse ter seguimento. Ele acredita que até fevereiro o impasse em relação ao lote dois esteja resolvido e possa ocorrer a homologação do resultado. “Como os corredores serão construídos por trechos interligados, mas independentes na execução, não haverá problema em adiar a homologação do resultado da licitação de um dos trechos”, afirmou.

Lotes

A Prefeitura licitou os corredores em quatro lotes. O primeiro, formado por um trecho do Corredor Campo Grande que ligará o Centro até a Vila Aurocan, em 4,3 quilômetros, e mais o Corredor Perimetral, com 4,1 quilômetros, foi arrematado pelo Consórcio BRT-Campinas, formado pelas empresas Arvek, DP Barros, Empav, Trail e Pentágono. O consórcio ofereceu um desconto de 16,23% e a obra e projeto executivo custarão, com esse deságio, R$ 88,9 milhões.
O lote dois é formado pelo Corredor Campo Grande, que ligará a Vila Aurocan ao Terminal Itajaí, em 13,6 quilômetros. Essa ligação foi dividida em três trechos: um de 5 quilômetros ligando a Vila Aurocan até a ponte da Rodovia Bandeirantes; outro, de 6,4 quilômetros ligando a Bandeirantes ao terminal Campo Grande; e outro, de 2,2 quilômetros, do Terminal Campo Grande até o Terminal Itajaí.
O lote 3, é integrado por um trecho do Corredor Ouro Verde, que liga a região central até a Estação Campos Elíseos, com 4,8 quilômetros de extensão, e foi vencido pela Compec Galasso Engenharia e Construção, que ofereceu um deságio de 22,02%, o mais alto desconto entre os quatro lotes. O trecho custará R$ 66,5 milhões.
Já o lote 4 foi arrematado pelo Consórcio BRT-Campinas/Construtora Artec S.A. O grupo ofereceu 17,9% de desconto e as obras sairão por R$ 104,8 milhões — o lote prevê obras do Corredor Ouro Verde, que ligarão a Estação Campos Elíseos até o Terminal Vida Nova.