As fichas de plástico que foram o vale-transporte campineiro no fim dos anos 80

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 21 de abril de 2017 às 18:56

Em 1989 com a entrada do prefeito Jacó Bittar, então do PT, na administração municipal de Campinas, o sistema de bilhetagem do transporte coletivo foi modificado. A intenção da Setransp (Secretaria de Transportes), então gerenciadora do sistema, era implantar a bilhetagem eletrônica em todos os ônibus da cidade.

As fichas do transporte público campineiro entre 1989 e 1993.

A primeira fase da implantação do sistema foi a troca de todos os passes de papel por fichas plásticas. Cada tipo de ficha tinha uma cor diferente, e significavam o seguinte:

FICHAS DE COR VERMELHA – PASSE POPULAR / COMUM (Ficha com desconto que era vendida à quantidade de 50 unidades por pessoa uma vez por mês).
FICHAS DE COR AZUL – PASSE ESCOLAR (Destinado a estudantes do 1º e 2º grau)
FICHAS DE COR VERDE – VALE-TRANSPORTE (Destinado a trabalhadores registrados)

A segunda etapa visava a implantação de um sistema eletrônico, com a instalação de catracas de “três braços”, idênticas às usadas no transporte de Curitiba. O sistema de fichas plásticas também foi copiado de Curitiba, com a diferença que as da capital paranaense eram de metal. Apesar disso, as catracas eletrônicas de três braços, que deveriam ter um recipiente para as fichas serem depositadas, nunca foram instaladas.

As fichas usadas no sistema de Curitiba eram de metal e intercalavam propagandas do Banestado – Banco do Estado do Paraná, hoje extinto.

Com o fim do governo Jacó Bittar, as fichas plásticas foram extintas e voltaram os passes de papel. Poucos anos depois começaram a ser instalados validadores para uma bilhetagem eletrônica via cartões plásticos e de papel, mas isso vamos contar em uma outra oportunidade.

As fichas usadas no transporte de Porto Alegre.

Nessa época do governo Jacó, várias outras cidades do país também trocaram os passes de papel pelas fichas de plástico, como em Porto Alegre e em diversas cidades da sua região metropolitana, Grande ABC Paulista, entre outras cidades. Hoje, nenhuma cidade usa mais esse sistema.

Ficha do vale transporte de Porto Alegre.

 

Fichas usadas no transporte do ABC Paulista.