Campinas faz parceria com Polícia Rodoviária para tentar coibir roubos de cargas

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 4 de dezembro de 2017 às 07:20

Um convênio de cooperação entre as forças de segurança de Campinas e a Polícia Rodoviária Federal vai permitir a troca de informações dos sistemas de monitoramento eletrônico de veículos, envolvendo o Sistema Inteligente de Monitoramento Veicular de Campinas (Simvecamp) e o sistema “Alerta Brasil” da Polícia Rodoviária Federal.

A formalização do trabalho conjunto se dará por meio da Secretaria Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança.








O documento firmado nesta sexta aponta como finalidade o desenvolvimento de ações conjuntas contra a criminalidade.

O acordo estabelece procedimentos de cooperação técnica e operacional, além do intercâmbio de conhecimentos, dados e tecnologias.

Pelo acordo a PRF processará as informações das placas dos veículos obtidas pelo Simvecamp e também auxiliará a Secretaria Municipal na interpretação e identificação dos padrões obtidos a partir das placas coletadas.

Além disso, vai disponibilizar para as forças de segurança do município os dados do sistema ‘Alerta Brasil’, da PRF.

Em contrapartida, serão disponibilizados os dados locais que possam ajudar a PRF em ações contra a criminalidade.




Segundo o Superintendente Regional da PRF de São Paulo, Valmir Cordelli, o acordo representa um passo grande para que essa união não se restrinja aos órgãos máximos de controle da PRF e os Estados.

“Fazer um convênio como esse com os municípios é muito importante para nós, já que tudo o que transita em uma rodovia sai dos municípios”.

O superintendente também elogiou a disposição de Campinas em fechar o acordo: “somente a integração consegue dar respostas à sociedade na luta pela segurança”, afirmou.

Para o órgão, é fundamental avaliar a movimentação veicular de Campinas e como isso impacta a região e as rodovias do entorno, sendo o combate ao roubo de cargas um aspecto importante dessa questão.

Será criado um grupo de trabalho de integração para promover continuadamente a avaliação de resultados, compartilhamento de informações técnicas e ajustes de procedimentos necessários.

O acordo terá vigência por 60 meses, a partir da data da assinatura, podendo ser renovado por igual período a partir do interesse das partes.