Curiosidades | A lógica dos números das linhas de ônibus de Campinas

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 20 de novembro de 2017 às 19:04

O número das linhas de ônibus de Campinas seguem uma lógica desde que o sistema InterCamp foi implantado, desde o ano de 2006. De lá pra cá algumas mudanças já aconteceram mas a base ainda é a mesma.








Na foto acima, um ônibus da linha 263 (ou 2.63). A lógica desse número é a seguinte:
2 – Área Operacional 2 – Vermelha
6 – Subárea operacional da Área 2 – Padre Anchieta
3 – Número de ordem sequencial

Vamos exemplificar linhas de outras áreas operacionais, como a 101:
1 – Área Operacional 1 – Azul Claro
0 – Subárea operacional da Área 1 – Linha alimentadora do Terminal Ouro Verde
1 – Número de ordem sequencial

E a linha 358:
3 – Área Operacional 3 – Verde
5 – Subárea operacional da Áreal 3 – Zona Rural / Bairros do Setor Após a Rodovia D. Pedro
8 – Número de ordem sequencial

Algumas linhas criadas depois do InterCamp ter sido implantada não seguem necessariamente essa lógica, como por exemplo as linhas 114, 115, 116, 117 e a 134.

A sequência 11 refere-se à continuidade das linhas alimentadoras do Ouro Verde, e a sua continuação pertence às linhas que partem da região do Ouro Verde e vão para o Centro sem passar pelo Terminal Ouro Verde, porém a 116 parte do Terminal Ouro Verde e vai para outra região da cidade.

Pela lógica, deveria ser uma linha da sequência 12 (como a 120, 121, 122, que são linhas que partem do Terminal Ouro Verde para o Centro ou outros bairros).

Já a 134 está junto das linhas 130, 131, 132 e 133, que são do grupo de linhas que partem do Vida Nova para o Centro.

Pela lógica, deveria também ser do grupo de linhas 12.

Detalhe que essas duas linhas existem já desde antes do InterCamp, mas ficaram nessa sequência sem lógica.