Quem é o engenheiro elétrico Carlos José Barreiro, presidente da EMDEC?

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 19 de dezembro de 2016 às 20:33

Ultimamente Campinas não tem tido muita sorte com seus secretários de transporte. Quase sempre são pessoas que não tem ligação nenhuma com o setor que são colocadas no cargo, e acabam fazendo lambança. O atual secretário, Carlos José Barreiro, não tem sido muito diferente.
Engenheiro elétrico por formação, Barreiro assumiu a secretária de transportes de Campinas e por consequência a presidência da EMDEC em 2014 e continuará no próximo governo Jonas. Não tem feito uma grande gestão, ainda mais com a crise que as empresas de ônibus alegam que estão enfrentando. Pouca renovação de frota, redução de ônibus em circulação e alta da tarifa tem sido marca de sua gestão, além da letargia dos projetos da EMDEC, como por exemplo o dos corredores BRT, algo tão enrolado quanto corda de caminhão. Licita aqui, cancela ali, muda acolá, e nem um centímetro de corredor sai do papel. Quando é questionado, Barreiro sempre se esquiva e dá respostas vagas.
Mas afinal, de onde Carlos José Barreiro veio? Ele é político? Fomos pesquisar um pouco de sua carreira profissional e descobrimos algumas coisas. Entre 1998 e 2000, Barreiro foi diretor de distribuição da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). De lá, saiu para ser diretor-presidente da Sociedade Fluminense de Energia (SFE), onde ficou até 2002. Apenas a título de curiosidade, a SFE foi incorporada à Petrobras em 2013.
Barreiro também foi proprietário da empresa GCF2 Consultoria Ltda. entre 2001 e 2011, sendo consultor estratégico na área de energia elétrica. Entre 2008 e 2009 trabalhou como consultor na PETROM – Petroquímica de Mogi das Cruzes. Depois da sua carreira bem-sucedida na área de energia elétrica, chegou à EMDEC em 2014.
Como podemos ver, Barreiro é um bom profissional e muito bem-sucedido, mas dentro de sua área de formação. Mas, dentre outros secretários que tivemos, as formações foram bem fora da realidade dos transportes, como Sérgio Benassi, formado em veterinária, Amando Telles Coelho, que é engenheiro e foi secretário de obras no primeiro governo de Francisco Amaral, entre outros.