Elas são a alegria das festas e dos encontros de happy hour, mas, se consumidas com exagero podem causar problemas de saúde.

A coordenadora do curso de Nutrição da Anhanguera de Niterói, Edna Freignan, oferece dicas sobre a melhor forma de inserir as frituras no cardápio.

“Os alimentos fritos podem fazer parte da alimentação, mas, como tudo em excesso é prejudicial, não devem ser consumidos diariamente”, pontua.








Para que as frituras possam fazer parte do dia a dia, com prudência, é preciso apostar em versões menos prejudiciais.

Os cuidados principais são com a temperatura do óleo e sua reutilização.

“O óleo não deve ultrapassar a temperatura de 180 graus C e não deve ser reutilizado”, explica.

A docente esclarece ainda que óleos aquecidos por longos períodos, sob temperaturas extremamente elevadas, produzem compostos polares pela degradação dos triglicerídeos, ou seja, podem aumentar a predisposição à aterosclerose (doença inflamatória crônica) e câncer.

De acordo com Edna, estudos indicam que substâncias formadas nos recipientes com óleos e gorduras usadas em frituras podem ser prejudiciais à saúde humana, principalmente com o consumo de óleos aquecidos ou oxidados (reação química provocada pelo contato do óleo com o ar, que altera os ácidos graxos insaturados do óleo).

“É necessário cautela, a fritura pode ser consumida esporadicamente, e, com os cuidados necessários”, afirma.