Mercadão de Campinas faz 109 anos com projetos ambiciosos

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 12 de Abril de 2017 às 07:23

Com informações de Maria Tereza Costa / Correio Popular

Foto: Dominique Torquato / Agência Anhanguera de Notícias

O Mercado Municipal de Campinas, que completa nesta quarta-feira 109 anos, vai ganhar um site com sua história e começará a ser reformado. A primeira obra, que terá início nas próximas semanas, será a ampliação das vagas de estacionamento.

O projeto maior, que dará vida nova ao centenário espaço, que já foi estação de trem, ainda depende de recursos para a construção de um mezanino em cima das bancas centrais, onde ficará uma praça de alimentação.

O presidente da Serviços Técnicos Gerais (Setec), Arnaldo Salvetti, esteve ontem em Brasília, percorrendo ministérios, para tentar captar a verba. Serão necessários cerca de R$ 4 milhões para as obras, dinheiro que já havia sido empenhado em 2013 pelo Ministério da Integração Nacional, mas que não foi liberado. Salvetti quer saber o destino desse recurso e da possibilidade de conseguir verbas junto aos ministérios do Turismo e da Cultura.

Se o dinheiro federal não se viabilizar, afirmou, a Setec colocará a venda o potencial construtivo do Mercadão para captar o recurso necessário e já deve pedir, nos próximos dias ao Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (Condepacc), a liberação do potencial para a emissão dos certificados.

A transferência de potencial construtivo é um mecanismo urbanístico que compensa os donos de imóveis históricos do eventual engessamento imobiliário provocado pelo tombamento.
Pela lei, os proprietários recebem um Certificado de Potencial Construtivo (CPC) e ficam autorizados a transferir para outro terreno o potencial construtivo que foi impedido de utilizar na área onde está o bem tombado. Ele poderá, inclusive, vender esse potencial. O certificado define a quantidade de metros quadrados que o proprietário poderá transferir.

O Mercadão está estruturado com 143 boxes. Embora sua cor original seja a mesma que hoje reveste o prédio, o mercado já teve a cor azul-claro (na década de 70). O antigo leito do trem e o lugar onde as carroças paravam se transformaram em estacionamento de carros controlados pela Setec.

São 103 permissionários que vendem uma diversidade muito grande de produtos. Salvetti acredita que investimentos naquele espaço terão resultados no aumento de vendas pelos permissionários e também no turismo. A última vez que o Mercadão passou por intervenções foi em 2006, quando foram instaladas cancelas eletrônicas, sinalização horizontal e luminosos, e o número de vagas no estacionamento foi ampliado. Os boxes trocaram os toldos externos e o Mercadão recebeu projeto paisagístico.

Para comemorar o aniversário, será inaugurado o site www.mercadaocampinas.com.br, com sua história, informações das bancas e horários.

É lugar de história, de passeio, de conversa e de compras. Ali tem naftalina, fumo de corda, canivetes de todos os tipos, peixe, frango, flores, frutas, farinhas, sapatos e ervas. Tem artigos para feijoada, açougue, peixaria, lanchonete, pastelaria, casa de pássaros, artigos para pesca, artigos religiosos, frutas, verduras e legumes frescos, flores, queijos, temperos, pimentas, doces, loteria, mercearia, utensílios de cozinha e tantos outros.

vem sendo assim há mais de um século no velho Mercado Municipal, que resiste aos avanços dos supermercados, à concorrência das feiras e até à invasão dos camelôs no Centro.