Mortes no trânsito de Campinas ainda assustam, apesar da queda dos índices

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 8 de Maio de 2017 às 07:00

Em 2016, Campinas teve 74 mortes no trânsito, 15,9% menos que em 2015, quando foram 88 óbitos, 22,9% menos que em 2014, quando foram 96, e 26,74% menos que em 2013, quando foram 101.

Das 74 vítimas fatais no ano passado:

  • 36 (48,6%) eram ocupantes de motocicletas,
  • 24 (32,4%) eram pedestres
  • 14 (18,9%) eram ocupantes dos demais veículos.

Essas 74 mortes ocorreram em 70 acidentes.

ENTENDA: os dados foram divulgados como parte da campanha Maio Amarelo, de conscientização sobre mortes e acidentes de trânsito

Idosos são as principais vítimas

Levando em conta especificamente os pedestres, as vítimas fatais se concentraram nas faixas etárias de 72 a 77 anos (6 vítimas – 25%) e de 54 a 59 anos (5 vítimas – 20,8%). Dos 24 mortos, 15 (62,5%) tinham acima de 54 anos (aqui também somando as faixas etárias de 66 a 71 anos, com 1 vítima, e acima de 78 anos, com 3 vítimas).

Levando em conta os ocupantes de veículos, as vítimas fatais se concentraram na faixa etária de 18 a 35 anos (34 vítimas – 68%).




Motos ainda são maioria nos acidentes

Elas se envolveram em 38 (54%) desses 70 acidentes. E o número de vítimas fatais motociclistas, que havia caído 23,1% em 2015 (de 39 para 30), subiu 20% em 2016 (de 30 para 36).

A maioria das 36 vítimas que estavam em motos eram homens, 32 no total (88,8%). E 19 (52,7%) dessas 36 vítimas eram jovens de 18 a 29 anos.

Metade dos 70 acidentes de trânsito fatais aconteceram nos fins de semana, com forte concentração no período noturno: foram 20 (28,5%) em sábados e 15 (21,4%) em domingos. Os meses com mais vítimas de trânsito fatais foram outubro (10), abril (9) e setembro (8).

Acidentes com ônibus chamam a atenção

Foi alto o percentual do ônibus nos atropelamentos fatais: 5 no total, 20% de todos os veículos envolvidos nessas 24 ocorrências, sendo que ele representa apenas 0,6% dos automotores em circulação.

RELEMBRE: uma das mortes aconteceu no Corredor da Amoreiras

As vias mais perigosas

As avenidas com maior índice de acidentes de trânsitos fatais foram:

  • John Boyd Dunlop (6)
  • Ruy Rodriguez (5)
  • Anchieta (3).

Apesar disso, o número de mortes de pedestres caiu de 37 em 2015 para 24 em 2016.




Campinas tem 1 carro para 1,3 habitante

Baseada nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP), a Emdec calcula que Campinas possuía 1 veículo para cada 1,3 habitante em 2016, repetindo o índice do ano retrasado. Nos últimos anos, a taxa foi de:

  • 2015 – 1,30
  • 2014 – 1,31
  • 2013 – 1,33
  • 2012 – 1,33
  • 2011 – 1,39
  • 2010 – 1,47
  • 2009 – 1,56
  • 2008 – 1,63
  • 2007 – 1,71
  • 2006 – 1,89

A estimativa de população, em 2016, era de 1.173.370 pessoas. Em 2015, 1.164.098 pessoas (9.272 pessoas a mais em 2016).

A frota, em 2016, atingia 902.306 veÍculos automotores. Em 2015, 894.223 (8.083 veículos a mais em 2016).