Neblina nas estradas se torna cada vez mais comum nessa época

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 4 de junho de 2018 às 09:00

O outono avança e os motoristas que transitam pelo Corredor Dom Pedro já percebem um fenômeno bastante comum nas manhãs desta época do ano: a incidência de neblina, que diminui sensivelmente a visibilidade e exige um cuidado muito maior por parte de quem está ao volante.

No Corredor Dom Pedro, os pontos que registram maior incidência de neblina estão nas rodovias D. Pedro I (SP-065), do km 23 (Igaratá) ao km 51 (Nazaré Paulista); Prof. Zeferino Vaz (SP-332), do km 130 (Paulínia) ao km 140 (Cosmópolis); Eng. Constâncio Cintra (SP-360), do km 63 (Jundiaí) ao km 81 (Itatiba); e Romildo Prado (SP-063), do km 0 (Louveira) ao km 15 (Itatiba).








Em geral, trechos de serra e baixadas (vales) estão mais sujeitos à ocorrência do fenômeno natural.

Os períodos de maior incidência são a madrugada e o começo da manhã.

“Dois cuidados básicos são fundamentais: reduzir a velocidade e aumentar a distância do veículo à frente. Assim, o condutor terá mais tempo de reação para frear ou fazer uma manobra, se necessário”, explica o coordenador de tráfego da Rota das Bandeiras, Murilo Perez.

Para auxiliar os usuários e reduzir o risco de acidentes, a Rota das Bandeiras também realiza uma série de ações preventivas, como avisar os motoristas por meio dos painéis de mensagem variável (PMVs) existentes na rodovia e utilizar as viaturas de inspeção, as redes sociais e o serviço de 0800 para fazer a comunicação dos pontos críticos.

Além disso, a Concessionária preparou uma série de dicas para que os motoristas possam minimizar o risco de acidentes quando dirigirem sob neblina.

    1. Reduza gradualmente a velocidade ao perceber os primeiros sinais de neblina;
    2. Mantenha uma distância segura do veículo à frente;
    3. Acenda os faróis baixos – tanto de dia quanto à noite. Não é recomendado manter os faróis apagados, mesmo de dia. Já o farol alto, independente do horário, dificulta a visibilidade pela grande dispersão de luz emitida sob neblina;
    4. Não pare o veículo no acostamento;
    5. Nunca pare na pista;
    6. Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento;
    7. Use a pintura de faixa da pista como referência do caminho a seguir;
    8. Fique atento a sinais sonoros externos que possam indicar uma situação atípica à frente como buzinas, sirenes e som de colisão;
    9. Deixe a janela aberta, ainda que parcialmente, para ouvir eventuais sinais sonoros;
    10. Evite uso de aparelhos que possam dispersar a atenção;
    11. Deixe o para brisa limpo;
    12. Mantenha o vidro aberto ou ligue a ventilação dentro do carro para não embaçar os vidros;
    13. Caso julgue não ter condições de visibilidade para seguir viagem, pare somente em locais seguros como postos de abastecimento.