Nova Rodoviária de Itatiba está na fase final de construção

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 9 de Janeiro de 2018 às 13:05

A nova Rodoviária de Itatiba já ganhou forma e está em fase final de construção, faltando apenas os acabamentos. A edificação, que possui cerca de 700 metros quadrados de área construída fica localizada na Avenida Nair Soares de Macedo Fattori.

O novo terminal rodoviário possui a capacidade para receber cinco ônibus simultaneamente e contará também com guichê interno, sala de espera coberta, sanitários masculino e feminino, sede da administração, espaço para lanchonete e revistaria, ponto de táxi e um terminal urbano para o transporte coletivo municipal.








“A nova rodoviária, com a sua localização, atenderá a população de forma mais confortável, evitando problemas com acesso e localização, estando próxima ao Mercado Municipal ‘Dona Lica’, espaço de grande movimentação de pessoas e bem próxima a região central da cidade”, explicou o Secretário de Obras e Serviços Públicos, o engenheiro Herminio Geromel.

Além de sua localização geográfica, outra vantagem do novo terminal rodoviário é estar ao lado do futuro PoucoTempo, que abrigará diversos serviços relativos ao Novo Detran, para emissão, renovação e alteração da Carteira Nacional de Habilitação, segundas vias, permissão internacional para dirigir, emissão de certidões relacionadas, regularização de veículos, transferências, emissão de licenciamento, comunicação de venda, alteração de endereço, entre outros serviços.

O atual prédio da rodoviária, localizado na Rua Domingos Pretti, pertence a uma construtora e o contrato de aluguel é de R$ 31 mil mensais atualmente.

A nova área abrangerá a Rodoviária, o Novo Detran e o Almoxarifado Central da Prefeitura – esse já em funcionamento – e se tornará um complexo, que contará também com Procon, Ministério do Trabalho, Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), Banco do Povo, Emissão de RG, Sala de Conselhos, JARI (Junta Administrativa de Recurso de Infrações), Posto de Atendimento do SEBRAE, auditório, um espaço destinado à recreação infantil, espaço para alimentação, sanitários e estacionamento.

O aluguel de todo o complexo, no valor de R$ 38 mil mensais, só começará a ser pago quando a edificação for entregue com todas as melhorias realizadas.

Hoje a Prefeitura gasta cerca de R$ 41 mil alugando os prédios que abrigam os serviços que estão sendo transferidos para a Vila Social, valor que poderia aumentar para R$ 51 mil se considerado uma eventual locação do um prédio para PoucoTempo, dadas as características e metragens exigidas pelo Detran-SP.