ODC Comenta: Jonas Donizette despista sobre licitação e fala em aumentar ônibus elétricos

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 18 de março de 2017 às 07:00

As “novidades” (que não necessariamente são positivas) sobre a nossa cidade estão se revelando cada vez mais surpreendentes. Em uma reunião nessa semana – mais pra chamar a imprensa do que propriamente uma reunião para discutir pontos importantes, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), fez um plano de ação para os próximos três anos para nossa cidade.

Como nosso foco é mobilidade urbana e transportes, vamos a eles.

Este slide apresentado na reunião mostra que a ideia de Campinas é ter 150 veículos elétricos até 2020. São carros como os que existem na Itajaí Transportes e Coletivos Pádova, que vem em comodato com a multinacional BYD, não são comprados pelas empresas.

Agora, com isso surge uma pergunta: como exigir isso atualmente, se o contrato atual do InterCamp foi considerado irregular pelo Tribunal de Contas do Estado, isso já há alguns anos? “Nós não vamos esperar a nova licitação para começar a cobrar isso das empresas”, disse o prefeito em entrevista.

Já há alguns anos, o ODC e uma parte da imprensa tem questionado o prefeito com relação a essa nova licitação. Todas as vezes, tanto Jonas quanto o secretário Carlos José Barreiro despistam. Até o mês passado, a “desculpa” da vez era que esperaria a licitação do BRT terminar para começar a nova.

A licitação do BRT terminou. O ODC sabe que as obras, que deveriam começar até maio, podem só começar em 120 dias. Ou seja, julho. E com o risco de nem ficar pronto em 2020, segundo a expectativa otimista da administração.

Fato é: a “promessa” do BRT tem que ser cumprida, afinal o governo federal enviou uma bolada (desde 2012) para que essa obra pudesse ser feita.

Sobre os elétricos: pouco adianta a determinação ser cumprida agora, se, teoricamente, na nova licitação, “novas” empresas assumirem o transporte. A não ser que o contrato de aluguel dos ônibus da BYD seja “transferido” sem ônus. E se apenas essa é a promessa para o nosso transporte… estamos perdidos.

Somos que nem o Silvio Santos… Só acreditamos vendo.