Prefeitura vai gastar R$ 1 milhão com projeto que já existe nos arquivos da EMDEC

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 2 de Abril de 2017 às 15:48

O prefeito de Campinas Jonas Donizette anunciou na última sexta-feira o início das obras dos corredores BRT (ônibus rápidos) dentro de 90 dias, uma vez que já foi assinada a liberação da primeira parcela da verba federal por intermédio da Caixa Econômica Federal a título de fundo perdido (não precisará ser devolvido). Nesses 90 dias a equipe que cuida do projeto deverá estudar detalhadamente todo o projeto executivo para poder ser executado. É uma ótima notícia para a cidade que espera esse projeto ser executado há anos e que sempre vinha sendo adiado. Toda a cidade espera que a obra seja concluída dentro do prazo, que é de três anos.
Pois bem, paralelamente a esse anúncio, que foi feito diante de várias autoridades federais presentes em Campinas foram anunciados outros dois projetos no mínimo curiosos: a retomada de estudos para a implantação de um terminal urbano na região do Campo Belo e uma ligação via VLT ou monotrilho até o Aeroporto de Viracopos. De imediato, um projeto de metrô foi descartado pois, segundo Jonas Donizette, ainda não há demanda suficiente que justifique um investimento dessa magnitude. Acreditamos nisso também, mas algumas coisas devem ser ponderadas nesses dois anúncios paralelos.

PROJETO EXISTENTE – TERMINAL JARDIM SÃO DOMINGOS
A EMDEC tem em seus arquivos um projeto pronto para a implantação do Terminal São Domingos. Esse projeto foi elaborado durante o primeiro governo do então prefeito Magalhães Teixeira, em meados dos anos 80. De acordo com esse projeto, registrado em um caderno de dezenas de páginas jogado em um canto da empresa e feito pela SETRANSP (Secretaria de Transportes, antecessoria da EMDEC no gerenciamento do transporte coletivo), o Terminal São Domingos deveria ser construído nas proximidades do entroncamento da Rodovia Santos Dumont (na época em que a via ainda estava em processo de duplicação) com a estrada Vinhedo-Viracopos (atual Rodovia Miguel Melhado de Campos). Ali seriam represadas todas as linhas da região, na época operadas pela Viação Campos Elíseos e pela VBTU Transportes. Dali partiriam linhas troncais (ligação terminal-terminal) diretamente para o Centro, desafogando a região e otimizando as linhas.

Passados cerca de 30 anos desse projeto, obviamente que o mesmo encontra-se defasado e precisaria ser remodelado, ainda mais que ainda não existiam diversos bairros como o Campo Belo, o Jardim Marisa e o Icaraí, além do crescimento de outros como o próprio São Domingos e do Jardim Fernanda. Mas se já existe um projeto pronto, não seria menos oneroso ao erário público um reestudo em cima do que já se tem? A prefeitura agora vai liberar R$ 1 milhão para um estudo (lembrem-se disso, é apenas um estudo) de viabilidade de implantação de terminal na região, ainda mais em uma época de contenção de gastos, já que a própria prefeitura diz que está quebrada financeiramente.

ESTAÇÃO ICARAÍ DESMONTADA
Não podemos também nos esquecer que já existe a Estação de Transferência Icaraí, implantada durante o governo do Dr. Hélio, e que foi desmontada tempos depois. Na época da inauguração algumas linhas foram represadas ali, virando um ponto importante de conexão, porém depois todas essas linhas voltaram a ir direto para o Centro, fazendo com que a função da Estação fosse perdida, virando apenas um mero ponto de parada. Se já houve um projeto similar e que foi implantado e depois desmontado, por que gastar uma fortuna num projeto que também não levará a nada?

VEREADOR CARMO LUIZ APROVEITANDO PARA SE PROMOVER
Nas redes sociais o vereador Carmo Luiz, também conhecido como Carmo da Farmácia, fez um grande circo em cima do anúncio, dizendo que a liberação dessa verba para os estudos de viabilidade do terminal era uma “conquista dele para a região do Campo Belo”. Oras, ele deveria se envergonhar disso, pois esse dinheiro poderia ser usado para a recuperação asfáltica da região, por exemplo, ou para outras coisas mais úteis já que a região é bastante carente. Ele como vereador deveria saber que já existe um projeto antigo para a região, e que esse dinheiro poderia ser usado diretamente em prol da população em ações mais úteis.

REORGANIZAÇÕES PARA O AEROPORTO DE VIRACOPOS
Recentemente algumas ações foram feitas pela EMDEC em conjunto com a VB Transportes, como a criação de novas linhas que ligam a região do Jardim Fernanda, o Aeroporto de Viracopos e o Terminal Ouro Verde. Não seria mais prático colocar mais linhas diretas para Viracopos e reforçar itinerários para o Centro, como a linha 193? A maior parte da população da região prefere linhas diretas para o Centro, e isso explica o sucesso das linhas 192 e 197, por exemplo. A população prefere pegar uma linha que vá direto do bairro para o Centro e vice-versa, e não ter que descer em um terminal para pegar outra linha (apesar dessa opção ser a mais lógica até por questões de otimização do sistema).

VEREADORES QUE SE APROVEITAM DA SITUAÇÃO
E querem apostar que em uma eventual construção desse novo terminal, com represamento de linhas, o vereador Carmo Luiz vai comemorar no dia da inauguração, e uma semana após as primeiras reclamações ele vai ser o primeiro a falar que era contra?
Em 1999, na inauguração do Terminal Padre Anchieta, o então subprefeito Zé Carlos enalteceu a obra, mas foi o primeiro a criticar quando a população reclamou sobre a baldeação que havia se iniciado ali. Houve até a colocação de carros de som pelo bairro falando sobre o posicionamento da subprefeitura contra o terminal.

VLT OU MONOTRILHO? MELHOR OS PÉS NO CHÃO
O prefeito Jonas deveria se preocupar primeiramente em entregar a obra do BRT, que já foi adiada dezenas de vezes, e depois sim pensar em uma ligação com Viracopos. Alguns veículos de imprensa, sem conhecer a cidade ou seu governo, já anunciaram que Campinas “terá” o VLT ou o monotrilho. Oras, nem o corredor de ônibus começou a ser construído ainda, quem dirá um monotrilho… Vamos com calma e com os pés no chão.