Restaurante Popular Bom Prato Campinas Centro

O restaurante Bom Prato completou 15 anos na semana passada com mais de 7 milhões de refeições servidas ao custo simbólico de 1 real. Aberto a qualquer pessoa que tiver interesse em comer lá, o Bom Prato ainda sofre bastante preconceito de uma parcela da população por acharem que é apenas um “lugar para mendigos ou favelados comerem”, o que não é verdade.

Foto: Prefeitura de Campinas

Inaugurado em 2002 no antigo prédio da sede social do Clube Concórdia em Campinas, o Bom Prato serve uma comida de alta qualidade por um preço consideravelmente ridículo. Muitas pessoas que não são necessitadas vão lá para almoçar, principalmente trabalhadores ali do Centro da cidade.

Obviamente que há alguns inconvenientes como a fila, a pressa excessiva na hora de passar a bandeja para a comida ser servida, mas isso é irrelevante diante da proposta do restaurante popular. A maioria absoluta das pessoas (sim, a grande maioria mesmo, pelo menos 95% delas) são extremamente respeitosas, educadas, compartilham o que não irão comer (por exemplo pãezinhos, frutas, etc) ao invés de jogarem fora, pedem licença para sentar ao seu lado e também quando vão desocupar a mesa, comem em paz e colaboram para que o ambiente seja da mesma forma.

Na semana passada estivemos lá por três vezes e o cardápio não muda muito, pois em outras vezes que estivemos lá foi servida praticamente a mesma coisa. Além do tradicional arroz e feijão, as misturas variam pouco, mas são muito gostosas, como a tradicional feijoada todas às quartas-feiras, frango com molho e batatas, carne em pedaços, salada de acelga, polenta mole entre outras iguarias muito bem preparadas e gostosas. Na quinta-feira da semana passada estivemos lá também, quando comemoraram os 15 anos do restaurante. Excepcionalmente foi servido bacalhoada, que por sinal estava muito boa. Para alegrar o ambiente, integrantes da Casa de Portugal estiveram lá e tocaram músicas típicas portuguesas, vestidos com trajes típicos.

Caso você queira repetir a comida, basta voltar na fila e pagar mais um real. Pode repetir quantas vezes quiser, desde que respeite essa regra. Ninguém é obrigado a comer tudo, muita gente mesmo joga grande parte da comida fora, principalmente se não gostar da mistura ou alguma outra coisa, apesar de ter a opção de recusar no momento em que é servido.

A única crítica a ser feita é em relação ao momento em que o almoço é servido. As bandejas são empurradas e a comida é colocada no prato com muita pressa, creio que seja para agilizar o andamento da fila, mas isso poderia ser feito com um pouco mais de calma e dedicação até porque muitos dos que frequentam lá são carentes e até buscam uma oportunidade de convívio, de conversar com o pessoal que está lá, cremos que não há a necessidade de empurrar as bandejas daquela forma, mas também admitimos que desde que a COF (Centro de Orientação Familiar) assumiu a administração do local, essa parte melhorou, pois antes as mulheres que serviam os pratos chegavam a gritar para as pessoas agilizarem a passagem com o prato.

VALE A VISITA?
Com certeza vale sim. Além de não ficar mais do que dez minutos na fila, mesmo que aparente estar grande, irá pagar pouco e comer bem. Sempre será servido arroz, feijão, uma mistura, uma guarnição, uma salada, um pãozinho, uma sobremesa e um copo de suco. Como opcional há uma garrafa com farinha que você mesmo serve. Muitas vezes é preferível comer lá do que fazer como alguns que torcem o nariz, mas pagam 15 reais para comer uma comida de baixa qualidade.

COMO CHEGAR?
É possível chegar com qualquer ônibus que vai para o Terminal Central ou para o Corredor Central, descendo no primeiro ponto da Avenida Moraes Salles.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
O almoço é servido a partir das 11h00 até o último prato. Geralmente há comida até umas 13h, mas pode passar desse horário ou fechar um pouco antes, dependendo do movimento.