Shopping Parque das Bandeiras dá um uso bastante interessante aos resíduos da praça de alimentação

Tags: , , ,

Você já reparou naquele terreno que fica ao lado do Shopping Parque das Bandeiras?

Ali é um pequeno oásis de verduras e temperos toma conta do espaço de 400m².

Diversos tipos de alfaces, beterraba, couve, rúcula, manjericão, cebolinha, salsinha e mostarda brotam em um espaço que tem como objetivo conscientizar da importância da destinação correta do lixo e na redução resíduos que são enviados para o aterro sanitário de Campinas.

O projeto surgiu em fevereiro com a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos desenvolvida pela Ancar Ivanhoe, administradora do Parque das Bandeiras, e foi inspirado na iniciativa de sucesso do Shopping Eldorado, nomeada Telhado Verde, que desde 2012 faz um destino ecologicamente correto a cerca de 1 tonelada de lixo orgânico gerados diariamente em suas praças de alimentação.

O mutirão realizado pelos funcionários do Bandeiras rendeu atualmente canteiros com verduras e hortaliças livres de agrotóxicos.

Todo o resto de comida produzido pela praça de alimentação é encaminhado para o processo de transformação do resíduo alimentar em compostagem. Com a iniciativa, o shopping deixa de mandar mensalmente 22 toneladas de lixo para o aterro sanitário.

As plantas crescem diretamente no composto orgânico misturado com a terra. A primeira colheita de mais de mil mudas será feita na terça-feira, dia 29 de agosto, e todos os alimentos serão doados para lojistas, colaboradores e projetos sociais como o Lar Nosso Sonho.

Até o final do ano, a administração do shopping pretende duplicar o tamanho da horta e plantar outros vegetais como tomate, cenoura e temperos como tomilho, alecrim, hortelã e sálvia.



São números grandiosos

O Shopping gera mensalmente:

  • 22 toneladas de lixo orgânico
  • 15 toneladas de lixo reciclável
  • 65 toneladas de lixo comum

A colheita será realizada quinzenalmente e destinada aos lojistas e colaboradores, também ao Lar Nosso Sonho (crianças e adolescentes) e Lar dos Velhinhos de Campinas