Último lote do BRT de Campinas é finalmente homologado

Postado por Redação Ônibus de Campinas em 14 de janeiro de 2017 às 09:22

Fonte: Maria Tereza Costa / Correio Popular

Foto: CEDOC / Rede Anhanguera de Comunicação

A Prefeitura de Campinas homologou nesta sexta-feira (13) a licitação do último dos quatro lotes de obras dos corredores Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral, por onde circularão os BRTs. O secretário de Assuntos Jurídicos, Sílvio Bernardim, informou que a assinatura dos contratos ocorrerá nas próximas semanas para o início dos projetos executivos e obras. Com a homologação, a empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio fará a obra do Corredor Campo Grande, no trecho de 13,6 quilômetros que ligará a Vila Aurocan ao Terminal Itajaí, por R$ 191,1 milhões.
A homologação desse lote foi suspensa em dezembro em razão de recurso impetrado pelo Consórcio Paulitec – Estrutural contra a habilitação e classificação da empresa Construcap. Nesta sexta-feira a Administração negou provimento ao recurso.
A Prefeitura licitou os corredores em quatro lotes. O primeiro lote, formado por um trecho do Corredor Campo Grande que ligará o Centro até a Vila Aurocan, em 4,3 quilômetros e mais o Corredor Perimetral, com 4,1 quilômetros, foi arrematado pelo Consórcio BRT-Campinas, formado pelas empresas Arvek, DP Barros, Empav, Trail e Pentágono. O consórcio ofereceu um desconto de 16,23% e a obra e projeto executivo custarão, com esse deságio, R$ 88,9 milhões.
O lote dois é formado pelo Corredor Campo Grande, que ligará a Vila Aurocan ao Terminal Itajaí, em 13,6 quilômetros. Essa ligação foi dividida em três trechos: um, de 5 quilômetros, liga a Vila Aurocan até a ponte da Rodovia Bandeirantes; outro, de 6,4 quilômetros, liga a Bandeirantes ao terminal Campo Grande e outro, de 2,2 quilômetros, vai do Terminal Campo Grande até o Terminal Itajaí.
O lote 3 é integrado por um trecho do Corredor Ouro Verde, que liga a região central até a Estação Campos Elíseos, com 4,8 quilômetros de extensão e foi vencido pela Compec Galasso Engenharia e Construção, que ofereceu um deságio de 22,02%, o mais alto desconto entre os quatro lotes. O trecho custará R$ 66,5 milhões.
Já o lote 4 foi arrematado pelo Consórcio BRT-Campinas/Construtora Artec S.A. O grupo ofereceu 17,9% de desconto e as obras previstas sairão por R$ 104,8 milhões — o lote prevê obras do Corredor Ouro Verde, que ligarão a Estação Campos Elíseos até o Terminal Vida Nova, totalizando 9,8 quilômetros de extensão.