Veja cinco dicas para acabar com as suas dívidas

0
109

• Com informações da revista Claudia.

Quem está no vermelho sabe bem: a sensação é que não vai dar para resolver aquele problemão tão cedo. São tantas contas a pagar, tantos boletos, que quitar as dívidas parece uma missão impossível.

Mas não precisa ser assim. Com um pouco de organização, você pode montar um plano para pagar todas as dívidas e sair do vermelho de uma vez por todas.

Quer saber como? Então confira as minhas dicas!

 1. Fuja da dívida no cartão de crédito

As taxas de juros no Brasil são pornográficas – e elas fazem as suas dívidas mais caras crescerem numa velocidade alucinante. Cartão de crédito e cheque especial não podem ser usados para dívidas longas. Por isso, se você tem alguma fatura parcelada, ou está no limite do banco, vale a pena buscar um empréstimo pessoal para quitar tudo e ficar com uma dívida mais barata (com juros menores).

2. Controle os seus gastos

Se você é do tipo que não tem planilha, está na hora de rever este comportamento. Quem está no vermelho precisa ter um controle financeiro, para garantir que consegue pagar todas as parcelas em dia e manter o nome limpo. Para te ajudar, eu indico usar o método 50/20/30: 50% do seu salário tem que ir para o pagamento dos gastos essenciais (moradia, alimentação, transporte etc.), 20% para supérfluos (compras, lazer etc.) e 30% para o pagamento das parcelas.

 3. Não use mais do que 30% do seu salário para pagar parcelas

Se viver apenas com o seu salário é um desafio e tanto, imagine pagar todas as contas com apenas 70% dele. Pois é: muita gente esquece de somar todas as parcelas de dívidas antigas e, quando vê, comprometeu mais do que 30% do salário com o pagamento das dívidas. Fuja disso! Se você já está nesta fria, é hora de procurar o banco e propor uma renegociação.

4. Se você tem dinheiro guardado, use ele para quitar as dívidas

Eu sei que dá dó: você levou tanto tempo para juntar aquela grana e não quer usar aquilo para zerar as dívidas. No entanto, não tem jeito. As dívidas dos brasileiros têm taxas de juros tão altas que não há investimento no mundo que compense. Deixar o seu dinheiro aplicado e ir quitando as dívidas ao mesmo tempo é como tentar encher um balde furado. Melhor zerar a poupança, pagar todas as dívidas, e depois voltar a guardar dinheiro.

5. Depois de voltar ao azul, guarde dinheiro todo mês

Ter dinheiro guardado no banco é uma boa garantia de que você não vai precisar mais passar por aquele aperto todo. Por isso, assim que você zerar as dívidas, você deve começar a poupar. De forma prática, você mudar o seu método de controle para o 50/30/20: 50% para os essenciais, 30% para os supérfluos (afinal de contas, agora dá para curtir mais a vida) e guardar 20% todo mês para investir. Assim você tem um colchão de proteção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome